Namoradas perto de mim

Eu não tenho vontade de viver.

2020.11.25 09:05 Ryuukazi_01 Eu não tenho vontade de viver.

Oi, tudo bem?
Enquanto estou escrevendo isso, estou calmo agora. Mas notei que muitas vezes eu tenho medo de mim mesmo, em ter algumas recaídas de falta de vontade. Sim, falta de vontade. Não sei bem como iniciar o assunto… Então, sendo direto? Eu não tenho vontade de viver. Não sei como explicar bem em motivos, mas é como se nada fizesse sentido. Nada tem significado, nada tem um porquê, nada tem nada. E isso faz com que o esforço seja muito maior que as possíveis recompensas. E o que acontece se o esforço for muito maior do que a recompensa? Exato. Não há vontade. E é isso o que acontece comigo. Como eu não tenho significado em nada (ou seja, recompensa), tudo para mim é um pesar enorme, com a qual eu faço as coisas por fazer. Das mais básicas às mais complexas. Por isso pergunto tantos por quês (nada tem porquê para mim), por isso sou tão indeciso (sem significado, nada faz diferença), e por isso acabo tendo algumas crises de identidade (no final, eu me sinto culpado por ser assim. Porque eu não quero ser assim!).
Pra não perder a linha, vou começar assim; de trás pra frente. É por isso que sai de todas as redes sociais (Whatsapp, Facebook, Twitter, Instagram). Eu já nao postava nada, nadinha. Mas satisfazia as psssoas, e assim ninguém perguntava porque não tinha. Mas era como se os aplicativos fossem a minha caixa de pandora; Onde todos os meus monstros ganhavam vida – social, pessoal, profissional. Quando eu abro algum aplicativo, e vejo as pessoas felizes, realizadas, e etc... Eu me sinto um completo desajustado. Perguntas ficam se debatendo na minha cabeça, como: “Por que sou assim? Por que não posso ser como todo mundo? Qual meu problema? Será que sou amaldiçoado? Deus me odeia? Por que faria isso comigo?” E é então que vem a culpa: “Eu não quero ser assim... Eu me odeio... Odeio minha vida... Odeio minha aparência, minha mente, odeio quem eu sou. Tudo que eu quero e ser ou pessoa”. E bem, esse é o início de toda a crise de existência, e, porque eu sai de todas as redes socias. Elas me fazem mal. E sempre me lembram do que eu NÃO sou; mas deveria ser: Bonito, com vários amigos, vários planos de vida, e o mais importante; Feliz.
Também é por isso que não procuro relacionamentos. Quem, em sã consciência, iria se interessar por alguém assim? Depois de tudo que listei, acho que dispensa explicações. Mas ficar ao lado de alguém sem objetivos, sem ânimo. Um “de fora”, como se não fosse daqui (o que me lembra da minha vontade de ir embora – metaforicamente ou literalmente –, só quero sair por ai, rasgar meus documentos, e recomeçar tudo. Mesmo que signifique morrer (Sim, já pensei em suicídio. Mas nada muito sério. Afinal, se já está uma merda, que diferença vai fazer?). Mas voltando ao assunto. É como as pessoas costumam dizer: “Como que você espera gostar de alguém, se tu não gostar de si mesmo antes?”
Enfim, é isso. Não sei porque sou assim. Só sou. Desde criança, me lembro de nunca ter gostado de aglomerações (aniversários, gincanas, festas, etc...). Se ia um palhaço na escolinha, eu era o único que não achava graça. Se tinha festa junina eu odiava. Meu aniversário, até hoje não gosto. Mas nunca liguei muito também. Sempre considerei ser algo de criança. Crianças normalmente são tímidas as vezes.
Porém acho que o que seria um simples traço de personalidade, se agravou com uma má sorte da vida. Desde os meus 10 anos, ate os meus 14 anos, todo ano alguém morria. Primeiro, a minha avó materna de câncer. No ano seguinte, não morreu, mas minha mãe teve câncer, e passou o ano inteiro em hospitais. Mas no próximo, meu avô paterno, de câncer. No próximo, minha avó paterna, de câncer. No próximo, meu avô materno, pela idade. E no ano seguinte, pra finalizar, meus pais se divorciaram.
Esses 4~5 anos pegaram justamente a minha adolescência, então justamente, eu nao tive uma. Por conta de tantas pessoas sempre doentes, quem cuidava era minha mãe. Sempre indo em hospitais pra tomar conta. E meu pai trabalhava o dia todo pra nos sustentar. A questão é que eu ficava na casa de um amigo. E isso me fez sentir, o que seria ter tido uma família normal.
Eu sempre dormia na casa dele. Portanto, íamos sempre à igreja no domingo de manhã. Fazíamos churrascos. Íamos ao clube. Viajavamos para parentes deles, e etc. Lá tinha TV a cabo, então o pai dele assistia filme com a gente, jogos de futebol, e séries. Ele tinha um video-game, e vários vizinhos. Então jogávamos após a escola, chamávamos todos da rua, para fazer campeonatos. Jogávamos bola na rua, e outras brincadeiras. Eles foi o irmão que eu nunca tive; E a eles foram a família que eu nunca tive.
Várias vezes eu me pegava chamando a mãe dele de mãe, por engano. Ou pai dele de pai. Todas as vezes que eu voltava pra casa, era como "voltar pra realidade". Nós somos relativamente pobres. Não passamos fome, nem nada. Mas também não temos pra gastar. Então nunca tive TV a cabo, vídeo-game, e viagens apenas em datas comemorativas (tipo casamento de parente). Meus vizinhos eram todos idosos. E meu irmão de sangue tem o dobro da minha idade (Logo sempre morou fora e nunca conversava comigo). Minha mãe estava sempre trabalhando, ou cuidando dos enfermos da família. E meu pai trabalhado 12 horas por dia, todos os dias. Logo nunca pôde estar tão presente (Como pra ver filmes, jogar algo, me levar para esportes, ou simplesmente para conversar). E toda família tão ocupada assim... quem dera se se juntassem para churrascos ou igreja.
Com o passar da adolescência, minha auto-imagem também não foi das melhores. Eu tenho muitos pelos. Nada de anormal, apenas coisa de homem. Mas a moda hoje nao é essa nem de perto. E começou cedo em mim. Eu era obrigado a ir de blusa e calça na escola, mesmo apesar do imenso calor, para que nao chamasse a atenção. Eu nunca fui zuado, coisa de bullyin e tals. Mas porque nunca deixei nem sequer que notassem. Isso fazia com que eu nunca participasse de jogos de interclasse, pra nao ir de shorts. E nem que fosse ao clube (que era o prêmio), pra não tirar a camisa. Sempre usei cabelo grande. Mas para esconder a orelha (hoje já fiz cirurgia). E sempre usei aparelho nos dentes. Espinhas? Óbvio. Roupas e tenis? As velhas ganhadas de primos e irmão mais velho.
E essa é a questão: Eu cresci sozinho, em uma família humilde, sem grandes instruções de como se virar na vida. Minha mãe nao terminou o fundamental, e meu pai o colegial com supletivo. Logo, educação financeira, trabalho, universidade, intercâmbio, leituras... São coisas abstratas nas cabeças deles. Como que passariam algo para mim?
Hoje eu vejo o pessoal mais jovem saindo pra festas, tendo namoradas, famílias legais, e sempre estudando; Isso me gera uma mega sensação de uma vida que fora arrancada de mim. Mas que eu poderia tentar ainda... Porém estou sempre com um senso de urgência, que o tempo está passando, e tenho que fazer planos, estudar, juntar dinheiro, investir... Outrora ninguém me ensinará ou fara por mim. Mas ao mesmo tempo... não sei se quero.
Depois de muito reflexão, e juntando as peças para entender o porque das coisas que deram errado na minha vida, consegui tirar lissões muito valiosas. Hoje, já não me importo mais com muitas dessas coisas. Porém, hoje é isso: justamente, já não me importo mais. Não tenho uma religião. Não tenho uma família. Não tenho amigos. Não tenho vontade de nada. Não ligo pra mais nada. Parece que a energia que eu tinha na juventude se foi, e hoje estou cansado apesar de ainda novo [20]. E agora, não sei o que eu faço. O que vai me motivar? O que vai me fazer acordar de manhã e levantar da cama? O que vai me fazer querer viver?
Enfim, é isso. Se lá quem for você que leu isso, espero que esteja bem, e feliz. O Natal está chegando, então de valor aos seus bens, como família, estudos, juventude, e etc. Mas não se mate caso não às tenha, e seja gentil com as pessoas que podem não ter – a vida delas já é dura demais, e um pouco de gentileza pode fazer bem a elas. Bem, eu gostaria de finalizar com alguma citação ou um lição, como um presente valioso a que se tirar de todo esse drama que é a vida; Mas nao tenho. Mas, com muito amor e carinho, lhe desejo toda sorte do mundo!
submitted by Ryuukazi_01 to desabafos [link] [comments]


2020.11.22 07:24 vitulo Descobri um câncer grave aos 25 anos no meio da pandemia

Oi amigos,
Primeiramente queria dizer que sempre acompanho os desabafos de todo mundo por aqui e sinto que esse é um bom lugar pra se sentir bem com os seus problemas.
Eu tenho 25 anos, uma carreira muito bem sucedida (+20k mês), namoro e moro junto com minha namorada há 8 anos, tenho 2 cachorros que amo demais e tudo tava praticamente perfeito. Como qlqr um da nossa idade, nunca me preocupei com saúde e trabalhaviajacurtir eram as minhas prioridades.
Eu tinha uma pinta nas costas que cresceu de tamanho e no ano passado fui na dermatologista olhar, na época ela disse que era só estético e que meu plano não cobria o procedimento (claramente cobria, mas ela fez isso pra ganhar pelo procedimento) e que eu podia pagar ou manter assim. Decidi manter pois em momento algum me incomodava esteticamente, mas se eu soubesse o que ia rolar depois pagaria o dinheiro que fosse pra tirar...
Eis que na pandemia essa pinta virou uma pequena verruga, e ainda com aquele diagnóstico eu fui deixando passar. Até que em setembro eu procurei uma outra dermatologista que tirou a verruga e mandou pra biópsia. Num certo dia de setembro a dermatologista me liga por volta de 23hrs dizendo que eu teria que ir lá no primeiro horário, e aí a gente já começou a se preocupar.
Cheguei no consultório pela manhã e ela me disse o diagnóstico: melanoma metastático, o tipo mais grave de câncer de pele. Na hora o meu mundo caiu (eu acho que é uma sensação muito difícil de descrever, em poucos segundos toda a sua vida passa na sua cabeça e vc começa a se planejar pro pior) mas eu tentei me manter o mais estável possível até pra não preocupar minha namorada e os meus pais (que moram em outra cidade).
No mesmo dia fui no consultório do cirurgião oncologista e ele me descreveu a situação. Meu caso era relativamente grave e o câncer de pele é um dos mais traiçoeiros pq ele pode aparecer de diversas formas depois. Fiz todos os exames possíveis e imagináveis e por sorte o câncer não se espalhou pra nenhum outro órgão, mas p/ os linfonodos da axila. Ter o diagnóstico com 25 anos e sem nenhum outro caso na família ainda piora bastante a situação, pois é um tipo de câncer que geralmente acomete as pessoas mais velhas.
Fiz uma cirurgia depois de 2 semanas pra tirar o melanoma, abrir uma margem de segurança e tirar o linfonodo que tb tava acometido. Por sorte, tudo bancado pelo plano de saúde da empresa.
Em outubro, comecei a imunoterapia, um tratamento muito recente que ativa o sistema imunológico pra identificar e tratar possíveis metástases da doença. Por um lado, me sentia azarado por ter sido pego por essa doença, mas pelo outro me sentia muito muito feliz por ter acesso à um tratamento super caro (+50k mês) e por receber tanta energia positiva das pessoas que gostam de mim.
Agora em novembro tive que pausar o tratamento pq ele tá acabando com a minha tireoide, e pelos exames recentes tenho tb um hipertireoidismo pra tratar pelo resto da vida. Além disso, descobri uma nova pinta perto da cicatriz da cirurgia que apareceu muito rápido, com um aspecto muito parecido com melanoma. Fiz uma outra pequena cirurgia pra tirar ela e mandaram de novo pra biópsia, vou saber o resultado na semana que vem...
Comecei a terapia no mês passado, o que vem me ajudando mas não tanto pq é difícil desabafar com alguém que nunca passou por isso. Ao mesmo tempo procurei alguns grupos de apoio de pacientes com melanoma, mas tbm não me senti bem pq me parecia muito "mórbido".
Tô tentando levar a vida numa boa, vivendo um dia de cada vez e dando valor às pequenas coisas, e de verdade estou feliz com isso tudo. Sempre fui uma pessoa de fazer planos pro resto da vida, e ter qlqr pensamento de que minha vida vai acabar mais cedo do que eu imaginava não entra na minha cabeça.
Ao mesmo tempo, viver isso tudo numa pandemia, onde eu não posso estar perto dos meus amigos, da minha família e das pessoas que eu gosto é uma completa merda (e ainda tenho que tomar cuidado em dobro pq agora sou grupo de risco).
O câncer não me representa, eu não estou numa batalha contra ele onde vou "ganhar" ou "perder" como todo mundo costuma dizer, e eu não quero ninguém com dó de mim pq eu era "muito novo".
Eu espero poder voltar com um update daqui há 1 ano de que tudo deu certo. Nunca vou estar "curado", mas comemorando cada ano novo de vida.
Cuidem da sua pele, usem protetor solar e façam seus exames, pfvr.
Obrigado pelo espaço. :)
submitted by vitulo to desabafos [link] [comments]


2020.11.22 01:08 bombarril Ruim com ela, pior sem ela

TL;DR: terminei hoje, eis aqui um longo desabafo.
Hoje de tarde pedi um tempo para minha então namorada. Nossa relação estava me fazendo mal, e os momentos bons eram tão raros que não compensavam o esforço. Mas como me dói... Eu ainda amo aquela menina, e sei que ela realmente estava tentando ser uma boa namorada para mim, só que eu não acho que ela possa simplesmente mudar o jeito dela, nem acho que isso seja correto.
Eu sinto falta de quando a gente era amigo. Tudo era tão mais fácil... A gente se via, comia junto, dava risada, assistia um filme. Depois disso, íamos cada um pra sua casa, sem compromissos, sem discussões. Só coisa boa. Começamos a namorar e começam as expectativas um do outro. Eu nem sei se eu pedia demais, sabe? O que me motivou a pedir um tempo foi a falta de interesse dela.
Eu sei que ela tem seus compromissos, e que o pai dela é um pé no saco, mas poxa, já estamos há 20 dias sem se ver, e moramos perto. Eu também tenho meus compromissos, e conseguia sempre arranjar um espacinho para acomodar algum encontro ocasional. Eu propunha encontros sempre, sempre. Na amizade a gente se via umas 3 vezes por semana. Começamos a namorar e passamos a nos ver aos fins de semana. Depois só de domingo. Estamos há algum tempo nos vendo domingo sim, domingo não. E pra mim isso simplesmente não dá. E quando a gente finalmente se vê, ela age tão distante... Ela não segura minha mão nem me beija. Se eu ganhar um selinho é muito. E mesmo que eu só abraçasse ela pelo resto da minha vida, por mim isso não seria problema, sabe?
Eu me sinto... descartável. Toda vez que eu planejo um encontro e ela me fala uma das 3 clássicas, eu fico bem mal.
  1. Estou ocupada
  2. Meu pai não deixa
  3. Não quero
E ela? Tanto faz. Ela mesmo me disse isso uma vez. Não fazia diferença se ela me visse ou não. Ela estava contente apenas trocando mensagens. A gente praticamente webnamora, embora moremos na mesma cidade e sejamos maiores de idade. Ela é um amorzinho por mensagens, responde rápido e a qualquer hora, sempre dizendo que me ama e que me quer na sua vida. Mas ela fala uma coisa e age de outro jeito... Sei lá. Peço pra fazer call e parece que eu tô pedindo o cu dela. Sempre um sacrifício pra ela fazer qualquer coisa. Convido ela para jogar o jogo favorito dela, pq eu tô com saudades, e ela várias vezes me diz q n ta a fim ou q tem mais oq fazer. Daí em questão de 1h eu vejo e ela ta la jogando solo q. Ah, mas vsf. Eu valorizo demais o tempo q eu passo com ela, seja oq for. Pra vc ter uma ideia, eu já fui até em velório pra outra cidade com ela. Odiei, foi péssimo, mas eu fui pq era com ela. A companhia dela me motivou. Agora ela? KKKKKKKKKKKKKKKKKKK. Uma vez eu tava NA RUA DELA, e falei:
"Amor, tá em casa?"
"Tô, pq?"
"Tô aqui em frente kkkkk. Vem aqui"
"Não posso"
"Como assim?"
"Tô ocupada agora, não vou sair aí"
Eu chorei. Estava morrendo de saudades. Eu sou meio trouxa, eu admito.
Sei que ela era fiel. O problema real dela é a depressão. Ela sofre com isso desde a amizade, e eu sempre fiz meu melhor pra ajudar ela com isso. Sei que provavelmente seria bom pra ela que eu continuasse vivendo este relacionamento, mas honestamente, pra mim não dá mais. Choro quase todo dia, passo um puta nervoso, pq ela simplesmente se isola de mim e de todo mundo. Preferia ainda ser o amigo dela. Ser seu namorado tem sido desgastante.
Enfim, pedi um tempo pra ela hj de tarde, após mendigar pela terceira vez no dia se eu poderia ver ela. De manhã, ela disse q n sabia, q ia ver. No almoço, disse que faria faxina e q só se fosse mais tarde. Daí fim de tarde ela me diz q nem fez faxina, e que n ta fazendo nd, mas q a gente n ia se ver msm. Isso a gente estando há VINTE dias sem se ver. Daí eu tiltei. De modo educado, claro.
"Sério. Pra mim não dá mais. Não aguento mais esse sufoco pra simplesmente ver a sua cara. Eu quero um tempo."
A resposta dela?
"Tudo bem, eu compreendo. O que quer que você ache melhor para vc"
Não nos bloqueamos nem nada. Só não nos conversamos, e planejo tratar ela como uma conhecida por algum tempo, enquanto eu organizo minha cabeça, e ela a dela.
O que eu realmente espero com isso é que ela mude de ideia sobre tudo, e comece a me valorizar. Mas eu n acho q isso vá acontecer. Acho q acabaremos n voltando mais.
O que me dói, honestamente. Sei que todo mundo deve dizer isso, mas é minha primeira namorada e eu n consigo imaginar outra pessoa em seu lugar. Eu vou provavelmente procurar alguém muito similar, e comparar essa pessoa à minha ex. Eu simplesmente amo ela, conheço tudo dela, sei de tudo que ela gosta e de que ela não gosta. Sei dos podres, dos problemas, dos medos. E ela os meus.
Caras, aiai. Eu amo ela como eu amo minha irmã, como eu amaria uma filha. Eu quero tanto ela bem, puta merda. Eu tô mto dividido, queria que ela fosse diferente. É só... Mas é tão difícil...
Antes fosse só ela o problema. O pai dela me detesta por várias e várias razões. Eu tenho que ouvir as abobrinhas dele toda vez que cogito algo que ele não aprove, além do que ele já critica meu jeito e minhas atitudes. Ele me culpa por tanta coisa que eu nem tenho nada a ver...
Queria nunca ter pedido ela em namoro, gente. Acho que é isso. Sinto falta da minha amiga, e da minha paz de espírito.
submitted by bombarril to desabafos [link] [comments]


2020.11.20 15:34 Impressive_Ad3980 Profissão

Sou fulano de tal e tenho 24 anos,minha mãe sempre me criou sozinho e já Meu pai é presente para uns filhos e ausente para outros portanto minha mãe ficou com essa responsabilidade de ser mãe/pai porém, um dos meus irmãos sempre foi motivo de idolatria por minha parte, sempre me espelhei nele ainda mais por ele sempre “me proteger” dos outros irmãos, então tudo que ele fazia eu queria fazer igual, ele é odontólogo bem sucedido já na faixa dos 35 anos e eu obviamente “segui” os passos dele na área, eu gostava da faculdade, do aprendizado, dos atendimentos nem tanto rs, eu morava de favor na casa da mãe desse irmão,onde era bom porque era atrás da faculdade , porém como tudo não são flores,paguei com minha saúde mental esse previlégio de morar perto,ter que ouvir bosta todo dia e ter que ficar quieto pq estava de favor lá ,minha mãe e padrasto suaram pra pagar meus materiais que eram muito caros,então eu tinha que aguentar, até porque eles não tinham condições de pagar moradia que era muito caro na capital,no 3 ano de faculdade conheci uma pessoa e comecei a me relacionar, ela vinha de problemas familiares parecidos com os meus, ela via oque meus familiares faziam comigo e no último ano de faculdade a minha sogra( que é maravilhosa) e ela me chamaram pra morar com ela, aceitei e mesmo que ela morava bem longe de lá e pegávamos ônibus todos os dia para chegar na faculdade eu estava feliz, consegui recuperar minha saúde mental, conseguimos nos formar. Parecia que tudo ia começar a dar certo porém tomamos um banho de água fria do mercado de trabalho saturado, fomos para minha cidade no interior que era 200km da capital, trabalhávamos em uma clínica aqui outra acolá ,até que minha namorada conseguiu passar em um seletivo do psf e começou a melhorar um pouco pra nós, e eu fiquei nas clínicas da cidade onde não me sentia muito feliz no que estava fazendo , até que esse meu irmão que eu idolatrava me Deu um banho de água fria, quando falou algumas coisas pelo wpp para mim que era algo que nunca esperava dele( basicamente disse que não me considerava como irmão), não disse com essas palavras mas deu a entender, não me pergunte o motivo porque até hoje me pego fazendo essa mesma pergunta enfim, a partir dali só foi ladeira a baixo, engordei 20kg dentro de 3 anos e já não sentia muita vontade de fazer nada, ia trabalhar arrastado todos os dias, ainda vou,não tenho mais perspectiva na minha profissão,basicamente odeio oque faço e está me fazendo mal ate hoje,já tentei conversar com minha mãe porém ela é bem cabeça fechada e que pra ela mesmo se está ruim você deve continuar, pq ninguém é feliz trabalhando, e eu já não tenho esse pensamento, acredito sim,que existe pessoas que amam oq faz e sei também que umas odeia(meu caso),minha namorada que me ajuda muito nessa parte, devo tudo a ela,conversamos muito sobre isso, ela sempre me incentiva a tentar fazer outra coisa da vida, conhecer outros ares, procurar saber oq quero e talvez fazer até outra faculdade, duas áreas me chamam muita atenção hoje em dia, que é o Direito e agronomia, atualmente já conversei com alguns colegas da área até pra saber mais, já decidi que vou sair da área esse ano, ano que vem vou estar procurando algum trabalho diferente, vendo até se consigo perto de umas das áreas, se possível do Direito onde aprecio mais, eu gosto muito de ajudar as pessoas, isso me faz bem,fico feliz quando ajudo alguém. Por fim, sei que essa idolatria me fez mal, isso é uma merda, sei também que 17 anos não é a idade de entrar na faculdade, não temos maturidade suficiente para saber o realmente queremos, essa é minha opinião, então se você leu até aqui, e está indeciso com a sua profissão ou algo do tipo, procure saber mais da área, se possível tente ver na prática como é essa profissão para não cometer o mesmo erro que eu, e sim, eu sei que tem pessoas que se dão bem quando entram cedo na faculdade,porém eu não fui uma delas, e detalhe minha namorada foi, então não é uma matemática exata. Vocês que tem uma perspectiva diferente da minha cometem aqui, um grande abraço.
submitted by Impressive_Ad3980 to desabafos [link] [comments]


2020.11.20 03:20 mrqsm Dia 19 de novembro, 2020.

Caramba. Foi ontem que eu vi ela e o sentimento que eu tenho é que foi semanas atrás. Bom, na verdade foi. Talvez dia 4. Eu até tinha olhado, mas nem de perto passei pelo que eu estou sentindo agora. Encantadora enfermeira do CO, com o cabelo loiro, bem liso, preso com um coque bem atrás da cabeça, que ficava bem pequeninho, definindo que: ou o cabelo dela era curto ou era bem fininho, quase sem volume. A armação do óculos bem desenhada, cheia de curvas e ângulos. Os olhos e tudo escondidos atrás da máscara. Meu estômago embrulha de passar perto dela. Não sei explicar bem porque, eu julgava que tínhamos alguma chance? Bem, bola pra frente. Tenho bebês para cuidar, uma namorada, uma amiga me esperando. Bem, pelo menos as duas últimas são verdade. O dia estava parado, depois de dois partos naturais, dois bebês inteiros nascerem, tudo ficou calmo, fiquei caminhando de um lado para o outro, na esperança da doutora responsável me liberar e… “Ei! Me faz um favor?” eu passava na frente do vestiário feminino em direção à SR quando te ouvi, e que baita merda: nem consigo lembrar da tua voz, que merda traiçoeira a minha memória. Mas te olhei e senti um frio na barriga. Agora sem máscara e com roupas de civil, foi como um tiro no meu inconsciente. O cabelo solto ondulava para cair logo abaixo dos ombros, e a-há! Como eu tinha suspeitado, o cabelo era fino; logo pra baixo um par de olhos, agora não mais escondidos atrás da máscara, dois pontinhos pretos, escuros de doer e brilhantes de assustar. Aquele conjunto parecia tornar aquele pequeno rosto em uma dimensão própria, uma gravidade à qual eu, agora, estava sendo convocado. E sem piedade nenhuma tu continuou “tu me faria um favor? eu esqueci a minha garrafinha d'água ali na SR, tu pegaria para mim? tá do lado da pia, não tem erro!”. Bom, acabou comigo. Podia terminar por aí.
Mas justamente não ter terminado ali é o que me traz para cá. Senti um estouro, saí atrás da garrafa, e como ela havia falado, estava ali! Minha musa jamais erraria. Voltei andando e te olhando de longe, não fosse o elástico da máscara eu estaria de boca aberta. O pequenino nariz empinado puxava um beiço feito pra ser mordido, a boca formava um pequeno círculo, cada lábio grosso e curto na perfeita proporção que fizeram cada passo para mim uma humilhação. “É essa aqui?” eu soltei enquanto torcia para que ela negasse, que era outra garrafa, que eu ia precisar entrar no vestiário, tirar a roupa dela, tocar em cada pelo, acariciar o bico do mamilo e consolá-la pelo bem perdido. E com crueldade ela desfez a fantasia “Isso! Muito obrigado, meu amor.”. Caralho, que tesão. Puta que pariu. Aí eu lembro bem da tua voz, veludo azul. Eu quis que fosse uma provocação, ou, no mínimo, um ato falho. Me virei rápido demais. Merda de máscara, não pude te dar o meu melhor sorriso. Não pude nem ver tua bunda. Merda. Tudo errado. Camisa branca, calça preta, um pouco mais alta que eu, que merda. Será que vamos nos ver ainda? Era meu último dia nesse estágio. Janeiro eu volto, meu bem. Quer dizer, talvez em janeiro.
I'm sorry, no sub like this for portuguese speakers. Hope someone can enjoy it. Really wanted to get it out of my chest.
submitted by mrqsm to LoveLetters [link] [comments]


2020.11.18 03:29 bernoullistokes Quero estudar no ITA

O título é auto explicativo. eu faço o terceiro ano do ensino médio, moro em uma cidade pequena, e quero estudar pro ITA. O problema é que é um dos vestibulares mais difíceis do país, e não tem nenhum curso preparatório perto de mim. Além disso eu tenho família e namorada, e se eu quiser seguir meu sonho, eu vou ter que deixar isso e ir pra outra cidade pra estudar. eu não sei o que fazer, eu sinto que se não fizer isso eu vou ser um adulto frustrado por ao menos não ter tentado. eu pretendo passar esse ano de 2021 num cursinho online, pra tentar ir razoavelmente bem na prova do ITA e do IME e tentar pegar uma bolsa num cursinho bom, como o Ari de Sá ou Farias Brito. eu passo todos os dias ansioso pensando nisso, não sei se meus pais vão aceitar, apesar deles me apoiarem bastante em todas as minhas escolhas, mas outra coisa que me deixa com medo é como minha namorada vai reagir, pois ela é muito apegada a mim e nós já temos muitos planos pro futuro.
submitted by bernoullistokes to desabafos [link] [comments]


2020.11.18 02:22 GPCross Penso em dividir o apt com uma amiga, mas tenho medo que isso cause problemas no meu relacionamento

Talvez pareça um dilema bobo com uma resposta óbvia, mas já faz um tempo que quero dividir meu apartamento com alguém que eu confie por motivos financeiros, sociais, emocionais e inúmeros outros, porém tenho medo que isso afete meu relacionamento. Atualmente moro sozinho e minha namorada costuma passar os fins de semana comigo. Sendo apenas nós dois, roupas são completamente dispensáveis. Além disso temos liberdade pra fazer o que queremos e quando queremos sem nenhum julgamento. Então, por esse lado, perderíamos essa liberdade pois teria mais alguém morando aqui. Esse não é o maior dos problemas pois sempre existiu a possibilidade de eu dividir o apt com meu irmão, o que causaria a mesma situação até aqui. O próximo problema é que minha namorada ficou obviamente incomodada com a ideia de eu morar com outra mulher. Não por falta de confiança, mas pq consequentemente acabaríamos ficando mais íntimos por passar tanto tempo juntos (eu e essa amiga), além de situações como sair do banheiro de toalha, roupas íntimas no varal e afins. Eu quero muito dividir o apt pois sinto falta de ter uma amizade por perto, e por mais que minha namorada seja incrível, é um tipo de relacionamento diferente. Tenho certeza de que eu conseguiria me alimentar melhor, pois apesar de eu gostar de cozinhar eu tenho muita preguiça de fazer comida só pra mim e acabo comendo besteiras que são mais práticas. Também acabo ficando muito sedentário pq não tenho companhia regular pra atividades físicas, e essa amiga além de já ter esses hábitos saudáveis sempre me incentivou a ser alguém mais saudável. Então é certo que morando no mesmo apt eu conseguiria alcançar essa meta. Não sei mais o que dizer por agora, pois estou com a cabeça cheia de outras coisas também... Mas queria me abrir aqui pra tentar aliviar um pouco essa pressão e quem sabe encontrar alguns conselhos ou opiniões que possam ajudar?
submitted by GPCross to desabafos [link] [comments]


2020.11.18 00:21 crazy-ITAguy Fiquei com uma menina alterada pela bebida, que é irmã do meu amigo de infância

Primeiramente, minha idade 17, Roberto 18 e Cassandra 14. BACKGROUND Boa noite pessoal, vou dar um background da história . Eu moro em um prédio que desde de criança tenho amigos lá, em especial o Roberto (nome não real) que tem uma irmã Cassandra (nome também não real). A gente sempre foi amigo, aí em 2017 a mãe deles teve problema de Saúde e eles foram morar em Portugal e esse ano eles voltaram. Tava tudo, a gente descia para conversar e falar sobre a vida , e descobri que os dois mudaram totalmente o Roberto brigou com toda família e tentou se matar várias vezes(ele me contou tudo isso).Demorou alguns meses, mas comecei a me aproximar da Cassandra(ela ficou mto linda, não posse negar), e ela a me contar que bebe e teve um coma alcoólico no prédio, fazendo uma resenha/social. Uns 2 meses depois de saber da história dela, quando a gente tava conversando soube que ela ia em uma festa de 15 que eu também ia(de penetra), achei normal e segui com minha vida. A FESTA(14/10) Pulando alguns dias, chegou o dia da festa, eu fui normal, e lá encontrei a Cassandra e o Roberto que também foi de penetra, a gente ficou convensando e comendo. Fui pegar bebida para mim e ela foi junto, ela foi junto , dps de um drink ela começou a flerte real, dançamos forro junto, abraçava ela por trás e me dava uns selinhos (vou falar, eu não esperava por isso). Ela foi bebendo mais e eu também,e ela foi ficando mais ousada e alterada, então começamos a se beijar(perguntei se ela realmente queria isso e continuou) todo momento. Com isso, em um desses momentos o irmão dela viu e falou assim comigo: "Léo (fds é um nome comum ), para de fazer isso , tô pedindo como amigo." Ela ficou com raiva e tals, com isso ela foi bêbado mais e cada vez mais ficava alterada e me beijava mais , comecei a ficar mto preocupado pq ela começou a ficar tonta e quase cair comigo. Teve um momento que eu fiquei bastante preocupado que ela sentou no sofá e deitou , um povo falou para eu dar água outros falaram que ela ia vomitar, de qualquer jeito fiquei toda hora cuidando dela, com ela e fazendo ela ficar melhor. Porém chegou um momento realmente crítico, ela me levou pro banheiro e começou a me beijar , e eu parei falei com ela falando que não queria pq ela estava bêbada e perguntando se era oq ela queria, ela ficou puta comigo e foi embora, vi ela de novo ficando com outro menino e depois vindo ficar comigo (fiquei). Aí ela começou beber mais e eu tentando impedir, porém não deu certo e ela ficou com raiva de mim e sumiu de novo e teve um momento que bateu um desespero, ela tava sendo seguida por 5 meninos com segundas intenções, e eu jurei que eles iam estuprar ela, eu corri para pegar uma faca e tirar ela de lá. Tirei ela de lá dando uma desculpa que a amiga dela tava mal, deu certo e levei ela para uma mesa e prometi não sair de perto dela, e prometi ficar o restante da festa com ela(isso umas 1 da manhã e a festa acabava 3) e fiquei cuidando dela, teve até um momento engraçado que eu mostrei meu dedo cortado e ela tentou enfiar na boca kkkkkkk. Foi passando as horas , as vezes casualmente rolava beijo e ela ficou menos alterada. E dps foi embora com o Roberto, agora vcs se perguntam onde ele estava , ele tava com a namorada, mas ele sempre tava preocupado com ela, tentado deixar ela sem beber e quando os meninos seguiram ela ele foi junto se acontecesse algo ele brigava comigo,mas eu fiquei cuidando dela para ele se divertir com a namorada e tal. APÓS A FESTA(15,16 e hoje) No dia seguinte, eu comecei a pensar e fiquei me sentindo culpado de ter ficado com ela , eu sinto como se eu tivesse me aproveitado dela pq ela estava bêbada e alterada e não paro de pensar nisso , eu sei que vc devem estar pensando que é besteira mas para mim não é , eu realmente tô mal comigo msm , eu passo horas deitado na cama pesando nisso e tinha que desabafar com alguém, não vou mentir mas eu chorei um pouco também e quando eu não podia chorar eu soco a parede mto forte(parece masculinidade frágil eu sei), pensando que eu fiz merda e se ela tivesse sido estuprada , seria minha culpa. Hoje ela mandou mensagem falando que não se lembra mto das coisas , mas sabe que ficou comigo porque contaram para ela . Eu gosto dela, não sei como, mas msm assim acabei me sentindo pior sabendo que ela nem se lembra, bateu uma bad dps disso, pq a gente me beijou antes de ficar bastante alterada. Além disso, ela me contou que brigou com irmão dele(briga feia msm, ele nem conversam antes da pandemia) e estão distantes, e tô mais preocupado ainda, ele que cuidava dele , ele que levou ela pro hospital quando teve coma. Aí agora tenho medo que ela acabe bebendo e seja estuprada. É só isso, eu sei que tá enorme, desculpa mas queria mto tirar isso dentro de mim , chorei escrevendo isso e é minha primeira vez, obrigado por ter chegado até aqui. Pode deixar seu conselho Edit: decidi que vou tentar só esquecer e parar de falar com ela, não sou irmão dela nem pai nem nada, acho que só vou mandar um foda-se e parar de pensar nisso. Eu só tenho problema que eu me importo mto com as pessoas, mas fazer oq . Obg para quem leu e comentou , foi bom ter desabafado com vcs ❤️❤️❤️
submitted by crazy-ITAguy to desabafos [link] [comments]


2020.11.16 23:35 Lipe18090 Meu irmão traiu a namorada e eu contei

(Só pra ter contexto, nunca fui muito próximo do meu irmão, ele é o típico "macho escroto", bolsominion, machista e homofóbico. E como sou gay, não tem como a gente se gostar muito)
Bem, tudo começou ontem quando fizemos uma festa de família depois das eleições. Perto do final da festa, vi meu irmão ficando com uma menina, sendo que ele namora (namorada dele não tava aqui).
Na hora fui contar pra ela, pois a gente é bem ligado e tals, ela me ajuda em mta coisa da vida pessoal etc. Aí ela ficou chocada mas a gente combinou de não contar pra ele que fui eu (pq foi literalmente na frente de todo mundo).
Aí cheguei em casa do trabalho e ele me mandou mensagem que queria que eu fizesse uma ligação com a namorada. Estranhei, mas percebi logo que ele tinha descoberto (não sei como, pq ela não falou).
Fui já me trancar no banheiro pq não sou burro n nada (ele tem 24 anos e é forte, eu tenho 17 e sou gordinho até). Quando a mãe chegou eles começaram a conversar e eu ouvi tudo. Ele já começou a tentar jogar ela contra mim (falando que eu bebi e fumei na festa, sendo que não fiz nenhum dos dois). Ele falou q tinha descoberto que fui eu por sla como, que não erra burro. Aí ele disse que nunca ia admitir pra namorada o que fez. A mãe primeiro tava xingando bastante ele mas depois começou a pender pro lado dele. Meio q ajudando ele a criar uma mentira pra falar q eu tava bebado e inventei o que eu tinha dito.
Então eu percebi que eu ia acabar o culpado da situação. Então eu consegui gravar 4 segundos dele falando "Claro que não, não era pra ela ficar sabendo" e mandei pra ela. Aí depois deles terminarem de conversar ele foi pro quarto e eu corri pra sala na garagem. Aí ele ficou sabendo do áudio q eu mandei e veio querer me bater. O pai barrou ele e a gente discutiu e todos ficaram contra mim. Falando que é família e a gente deve ficar do lado, q eu devia cuidar da minha vida e que eu tava errado etc. Mãe chorou muito falando "olha a confusão que tu fez" pra mim e etc.
Isso aconteceu tem alguns minutos, tô aqui na sala da garagem e eles tão lá dentro. Todo mundo acha que eu tô errado, mas eu tô de consciência limpa. Só queria desabafar mesmo.
Edit: minha mãe veio falar comigo sozinho agora. me xingou e pediu se eu não tinha peso na consciência de EU SER O MOTIVO DELES TEREM TERMINADO. Estou sem palavras.
Edit 2: obrigado a todos que apoiaram, significou mesmo pra mim. eu realmente tava sem saber se eu tinha feito a atitude certa, mas acho que percebi que não fiz merda. inclusive, obrigado pelos awards todos! Se tiver mais acontecimentos eu atualizo vocês!
submitted by Lipe18090 to desabafos [link] [comments]


2020.11.16 12:56 pudimzeira Muitos ciúmes com amigo da namorada

Olá,
Queria a opinião de vocês para saber se estou muito errado quanto a esse sentimento de ciumes ou não.
Bom, para iniciar, queria dizer que tenho ansiedade tratada com medicamentos que acaba fazendo eu pensar demais nas coisas.
Bora lá,
Estou namorando a 1 mês e minha namorada tem um melhor amigo que também é um grande amigo meu.
Eles ficaram apenas um dia, mas ela mesma me falava que não fazia sentido pois eles são amigos demais(estavam bêbados brincando de verdade ou desafio, todo mundo pegou todo mundo).
Ela não me da motivos explícitos para sentir ciúmes, mas todo dia de manha ela manda um bom dia pra ele, passa horas conversando com ele e teve vários dias que ele me mandava print da conversa dos 2, e eu batia os horários e ela SEMPRE respondia ele antes de me responder. Na verdade, teve um dia que ela demorou 2 horas pra me responder e estava conversando sobre assuntos nada a ver com ele.
Já falei isso pra ela, sobre ela responder sempre ele antes de mim, mas parece que sempre que to longe ela demora pra me responder no whats, mas sempre que eu estou perto dela, ela responde ele bem rápido(essa parte ainda não falei pra ela).
Já quase terminamos por conta de eu me incomodar com essa amizade, e eu acredito mesmo que ele sendo meu amigo não faria nada(ele tbm namora) e ela tbm é muito fiel(eu era amigo dela quando ela namorava com outra pessoa).
Esta me incomodando demais e não sei o que fazer, coisas bobas me incomodam, por exemplo, eles moram no mesmo condomínio, toda vez que entro com ela no condomínio, vejo ela olhando pro apartamento dele; ela sempre procura ele, sempre manda bom dia, por exemplo e quando estamos juntos, nós 4(eu, ela, ele e namorada) percebi que ela sempre olha e fala mais diretamente com ela na mesa do que comigo ou namorada dele.
Outra coisa que percebi também, é que ela sempre deixar a conversa dele aberta(as vezes estou trabalhando home office na casa dele e ela e ele trabalham na mesma empresa).
Nunca tem nada de mais nas conversas, mas sempre ta ali, aberta na dele.
Eu acredito que eles são amigos de verdade, eles se conhecem a uns 8 anos, mas eu queria desabafar para ver se melhorava oq eu sinto, mas só piorou, HAIUEHIUAEHUIEAHAIUEA.
Estou muito errado? Estou exagerando?
submitted by pudimzeira to desabafos [link] [comments]


2020.11.14 07:44 RSZambo Tenho 29 anos, sou filho único, meu pai faleceu ano passado e minha mãe provavelmente está gravemente doente.

Precisava colocar isso por escrito em algum lugar.
Tenho 29 anos, faculdade e pós-graduação, um emprego ok, uma namorada maravilhosa e me sinto um tanto quanto "encaminhado" na vida. Tenho amigos confiáveis, família sem grandes problemas e uma "rede de apoio" que me traz certa segurança, até mesmo financeiramente.
Mas olhando para minha situação atual eu não consigo não surtar.
Meu pai faleceu ano passado após um ataque cardíaco repentino, sem nenhum aviso. Tive muita sorte de conseguir chegar até a casa dos meus pais, levá-lo ao hospital e conversar com ele algumas vezes durante o dia que ele ficou na UTI.
Mandei uma mensagem dizendo que ele podia ficar tranquilo que iríamos lá na manhã seguinte para vê-lo e disse que o amava. Ele estava sem os óculos para ler a mensagem então a encaminhou para a minha mãe e ligou para ela - a última coisa que ele ouviu em vida foi minha mãe lendo minha mensagem, dizendo que o amava, e logo em seguida ele faleceu sem sequer conseguir desligar o telefone.
Semanas depois uma tia próxima, cunhada dele, também faleceu, e aí veio a pandemia. Passados todos esses meses desse ano minha mãe começou a se sentir mal e só piorou.
Ela teve câncer de mama em 2017 e seguramos a barra toda de operação, quimioterapia e radioterapia juntos, nós três, por mais pesado que tenha sido. Agora, pelos exames iniciais, parece que ela tem câncer de fígado e parece ser grave, pelos exames e pelas reações da médica dela.
Resumindo: eu provavelmente ficarei órfão antes dos 30 anos.
Meus avós já faleceram faz anos. Só conheci um avô e por poucos anos. Minhas avós eram próximas e estive perto quando elas morreram. Parece que a porra da morte me rodeia e só agora estou sentindo esse peso.
Eu não consigo DORMIR pensando nisso. Porra, quem vocês conhecem que perdeu os pais (os dois com menos de 65 anos) antes da porra dos 30 anos? Não em um acidente ou em algo do tipo, mas simplesmente por duas doenças filhas da puta. Isso não parece justo, de coração.
Quem vocês conhecem que, aos 30 anos, não tem mais avós, avôs, pai, mãe ou irmãos? Que se vê sozinho no mundo quando se trata de relações de sangue? Que vai ter filhos que não conhecerão os avós?
Eu sou um cara simples, nunca passei a perna em ninguém, estou sempre tranquilo, na minha e tento fazer o bem pra todo mundo. Pego casos judiciais sem cobrar nada ou cobro uma merreca só pra ajudar conhecidos, adotei uma cachorra de rua na quarentena, nunca dei trabalho ou trouxe qualquer preocupação para meus pais, já fiz até terapia para tentar entender melhor o mundo e a mim mesmo e como a vida me retribuiu depois de tudo isso?
Se o diagnóstico da minha mãe se confirmar eu vou perder a única pessoa "acima" de mim, e parece que vou conviver anos sabendo que serei o próximo da lista natural da vida. Sério, isso é fodido demais de se pensar.
Desativei minhas redes sociais esses dias pq não consigo olhar todo mundo postando fotos com suas famílias enquanto eu só penso que não terei minha mãe, que é a única família que me resta, por perto por muito mais tempo.
Não sei como vou reagir ao receber o diagnóstico dela, caso o pior cenário se confirme, mas ainda terei que deixar de lado minhas emoções para dar o suporte necessário para minha mãe - se pra mim já está praticamente insuportável, imaginem para ela?
Eu estou sofrendo por antecipação e sei disso, mas pelos exames feitos até agora é questão de tempo até o diagnóstico se confirmar e meus medos se tornarem reais.
Agradeço quem leu esse desabafo, só precisava escrever isso em algum lugar para tirar do meu peito.
submitted by RSZambo to desabafos [link] [comments]


2020.11.14 00:54 Fragrant_Name_1742 Sugestões de saídas em Setúbal / Margem Sul / Lisboa

Olá amigos fechados em casa,
Ora bem então eu recentemente mudei-me para a Margem Sul por motivos de trabalho e também para estar mais perto da minha namorada, sendo eu do Norte, isto para mim é um país completamente diferente. Por motivos que alheios à minha namorada, ela nunca teve muita oportunidade sair, conhecer sítios novos, fazer coisas novas e ter novas experiências , e como eu não sou daqui e nunca passei muito tempo nesta zona, ando um pouco perdido de ideias para começar a explorar esta zona com ela e a dar-lhe a conhecer novas coisas.
Dito isto, alguém tem ideias e sugestões de sítios ou coisas que se possam fazer nestas 3 zonas? Preferencialmente coisas que sejam possíveis de se ver ou fazer num dia visto que com as restrições e o estado das coisas cá queremos evitar o máximo de aglomerados e de situações onde se esteja exposto a riscos desnecessários.
Muito obrigado desde já e continuação de um bom fim de semana todos fechados em casa a ver o Alta Definição e o Big Brother.
submitted by Fragrant_Name_1742 to portugal [link] [comments]


2020.11.11 03:19 Ofc_nathi Eu VS meu irmão mais velho

(Esse desabafo não é sobre rivalidade entre mim e meu irmão, e sim sobre a forma que minha mãe e meu padrasto nos trata diferente.)
Eu sempre fui super próxima à meu irmão... Sempre me baseei nele, sigo seus conselhos e etc. Meu irmão sempre manteve sua vida amorosa, suas peguetes e ficantes em segredo. Com excessão de mim, ele não contava sobre esse tipos de coisa P ninguém... Ao contrário de mim, que sempre conversei com a minha mãe, sempre contei sobre minhas paixonites, os meninos e meninas que eu ficava ou até msm, queria ficar. Meu irmão começou a ficar com uma menina que minha família não conhecia, e dps de alguns meses, ele foi sair c a mina, e eu e minha família fomos juntos (sem saber q ele ia encontrar a menina)... E foi assim q conhecemos a namorada dele. Comigo, desde sempre, minha mãe dizia que se eu fosse me envolver com alguém, essa pessoa tinha que ir em casa, conhecer a minha família é pedir permissão. Dps de 1 mês de namoro do meu irmão, eu comecei a praticar meus esportes e meus amigos me levavam em casa, toda noite. Minha mãe conheceu um amigo meu e me shippava com ele. Eu nunca havia pensado na possibilidade de ficar com ele, mas como minha mãe ficava matutando em cima de mim, eu comecei a olhar o menino c outros olhos, e dps de 1 mês conversando c o menino, eu chamei ele P sair (c a permissão da minha mãe) e ficamos (eu falei P minha mãe e P meu padrasto). Dps de 2 semanas ficando, oficializamos o namoro.
Com 1 ano de namoro, minha mãe nunca deu pitaco no relacionamento do meu irmão. Com 2 semanas namorando, minha mãe sempre se meteu no meu namoro, e dizia tudo q eu tinha q Flr P meu namorado. (Terminei c ele dps de 3 meses de namoro)
Isso foi em 2018...
Depois disso, minha mãe começou a ficar paranóica sempre q eu falo de alguém q eu fico.
À mais ou menos 1 mês atrás, eu fiquei com um cara em uma festa de família paterna, e contei P minha mãe. Até então, eu não pensava na possibilidade de ficar c esse cara Dnv, mas acabou rolando e EU CONTEI P MINHA MÃE. (Ela sempre me disse que eu tinha que contar as coisas P ela, pq ela nos contava as coisas dela. E se eu não contasse e ela descobrisse, ela ia ficar brava e chateada)
Eu continuo ficando c esse cara, sem esconder da minha família e da minha mãe. Porém, pra minha família paterna, tudo que eu faço, é por causa desse cara; mas eu sempre deixei claro PRA TODO MUNDO QUE EU CONHEÇO, QUE MINHA VIDA NÃO É MOVIDA A MACHO, OU À QUALQUER TIPO DE RELAÇÃO AMOROSA, pois eu sempre fiz as coisas pela minha cabeça. Falei pra minha mãe que minha tia havia me chamado pra dormir na casa dela, que por acaso, é perto de onde o cara q eu fico, mora. E ele vem todos os dias tomar café com a minha avó, que é na msm rua da casa da minha tia... Eu também venho passar o fim de tarde com a minha avó, pois antes, quando eu não vinha, todos os meus tios e tias, e minha avó me crucificavam. Minha mãe, de cara, me perguntou se eu ia vir por causa do mlk, e eu, puta da vida, disse q não... (eu não menti) e disse pra minha mãe que se eu viesse só por causa do Mlk, não tinha o porquê de eu esconder isso.
Vim pra casa da minha tia, falo com minha mãe e meu pai, todos os dias... E minha mãe me pergunta se eu falei com o menino, e eu digo q não fico falando por ele por telefone, até porque ele trabalha (e eu não tenho paciência P ficar conversando por telefone).
Hoje, eu na casa da minha avó, minha mãe me mandou msg, dizendo q queria conversar comigo, dizendo q meu padrasto disse q tem certeza que eu só vim pra cá por causa do mlk... Disse q eu nunca gostei de vir pra cá, etc. Eu disse que Sempre que eu tenho oportunidade, eu venho ficar com a minha tia, mas parece q ninguém, além do meu irmão, lembra disso. Eu fiquei totalmente magoada pelo q o meu padrasto falou e minha mãe concordou...
Se fosse o meu irmão, ninguém ia associar a ficante dele, com a visita à família; Por que q comigo tem que ter essa palhaçada? Por que eu sou mulher? Sempre argumentei contra o machismo e tenho que conviver com isso dentro de casa?
Eu havia dito pra minha mãe que o cara tinha me chamado pra sair, e ela disse q se eu saísse com ele, ela ia ir junto. Pra quê? Por que, com meu irmão nunca teve esse palhaçada, e comigo que sempre me abri, tem que ter? Eu tô exagerando em me sentir mal?
submitted by Ofc_nathi to desabafos [link] [comments]


2020.11.07 20:46 randomiize Agressão física

Essa madrugada aconteceu algo muito ruim que para mim está sendo impossível de se lidar mas ela deve estar pior, minha namorada saiu com a mãe e o tio para lanchar num bar da redondeza e no local um cara veio querer roubar cervejas do balde que estava na mesa da minha namorada ela pediu educadamente para ele parar com isso, novamente esse mesmo cara tentou segurar ela Ela pediu p ele se afastar e não encostar nela ele tentou novamente e empurrou ele com os braços para se distanciar E o infeliz deu um soco na cara dela, ela ja foi fazer corpo de delito e na delegacia infelizmente isso aconteceu por volta de 1:00 da manhã e não moramos tão perto sendo inviável de eu ir para confortar ela Ja nos falamos e ela disse p eu n ficar com raiva e que ela está bem, mas eu sei que não está e eu estou me sentindo tão prepotente de não ter feito nada contra esse animal Eu sei que se eu estivesse lá a situação só iria piorar p mim porque eu não iria perdoar um infeliz desse mas ta foda lidar com isso Estou tentando não pensar mas cada vez que eu paro só me vem a imagem dela levando um soco na cara e isso só está me gerando mais raiva e ódio para acabar com a vida do infeliz que fez isso Aparentemente o cara e um desconhecido e logo logo eu irei estar junto a ela pois ela trabalha Mas logo assim que ela veio falar a primeira coisa foi para não falar para ninguém e eu tenho uma família mt pequena e unida são 3 pessoas Mas como não pude falar com ninguém apenas queria fazer esse desabafo.
submitted by randomiize to desabafos [link] [comments]


2020.11.05 05:17 Afternoon_Upbeat Eu fui embora da vida da única mulher que já amei.

To usando uma conta throwaway porque sim, slá.
Esse vai ser longo ;D
Eu conheci essa moça (vou chamar ela de X) aos 12 anos de idade e de cara começamos a nós dar bem, fomos da mesma sala por vários anos consecutivos, acabei que me apaixonei por ela de uma forma bem inocente, eu gostava de ver ela sorrir, rir. Enfim, por volta dos 14 anos eu falei com ela sobre isso, que eu realmente gostava dela e tal....bem no dia depois dela começar a namorar outro maluco, sem problemas, é a porra da vida eu acho? ao longo dos anos ela brigou bastante com ele por minha causa, me sentia mal por isso e tal, mas não me importava muito, afinal, ficar perto dela pra mim era o suficiente.
Ao longo dos anos eu continuei completamente apaixonado por ela, ela me contava tudo da vida dela, fui até o primeiro que ela contou sobre perder a virgindade aos 15 praquele mesmo cara, machucou um pouco...mas fazer oque? nesse ano que ela me contou isso o cara deu um ultimato nela, era basicamente; "Eu ou ele". Ela escolheu ele, entendível, afinal de contas era namoradinho dela. eu tinha 16 ela 15. Antes disso eu andava de mão dada por ai com ela e tal, nunca nem tinha ficado com outra pessoa de tanto que eu era imbecilmente apaixonado por ela, passamos um ano só falando "oi" um pro outro no máximo.
Eles terminaram eu tinha 17 e ela 16, voltamos rapidamente pra rotina antiga, acabei ouvindo amigos meus sobre ficar com outras pessoas pra esquecer, cedi, fiquei com as minas mais parecidas com ela que tinham, todo mundo achava estranho, mas sei lá, meio que só sentia atração assim? O lado bom disso é que passou a vontade louca de ficar com a "X", comecei a ficar com gente aleatória, foda é que veio lado ruim logo depois, cai em depressão, saí do colégio, entrei na faculdade, comecei a me drogar pra esquecer essa mulher e não dava, eu sempre esquecia ela e logo depois voltava com tudo o sentimento, pelo menos, "nunca" na minha vida sofri rejeição, as pessoas falam que sou um cara atraente, nunca vi isso principalmente porque já fui rejeitado por ela.
Aos 19 anos nossa amizade escalou pra caralho, começamos a fazer muitas coisas só nos dois, bebíamos juntos, acampamos juntos, ela dormia abraçada comigo na minha cama(????????) (Nota pro leitor: nunca nem fiquei com ela.) chegou num ponto que eu acordei e ela dormia em cima de mim e eu pensei comigo mesmo; "essa é a vida que eu quero pra mim? Não ter a única que me importo?"
Comecei a namorar pela primeira vez depois dessa realização, isso no mesmo ano, terminei com minha namorada depois de dois anos, foi um relacionamento que me fez entender muito sobre a vida, foi horrível, nunca fui tão maltratado por uma pessoa como por minha ex-namorada , chegou até um ponto que ela falou que só ficava comigo pela minha aparência, de qualquer forma, terminei com ela, não culpo ela, levei esse relacionamento como um aprendizado sobre a vida. O lado bom é que, durante esses dois anos, eu fui completamente proibido pela minha namorada na época de ver a "X", dois anos sem nem ver ela direito. Quando eu terminei, na mesma semana falei com a "X" e fui encontrar ela.
Ela tem depressão severa, enche o vazio dentro dela com drogas e sexo randômico, assim como eu anos atrás, eu encontrei com ela varias vezes, até que ela me pediu perdão por tudo, era exagerada nossa amizade e que sempre que eu ia embora da vida dela, que foram varias vezes, ela esperava eu voltar. Isso me quebrou, mas acabei entendendo que a decisão correta seria ir embora, ela me ama, mas não como eu gostaria, e eu não queria ficar nesse joguinho. Ainda mais porque eu já estava começando a cair por ela de novo
Marquei com ela pra conversar sobre isso, sem ela saber, obviamente (eu sou um animal).
Expliquei tudo, cheguei lá por volta das 19. só fui embora as 2 da manhã, na primeira hora ela negou eu ir embora de novo e que mentiria pra mim sobre o estado mental dela e que ela ia omitir ela ficando com outras pessoas e tal, neguei, não queria isso, queria ela, não uma vida perto dela. Ao longo da conversa ela compreendeu e disse que apoiava eu ir embora, ela me acompanhou até meu carro e me abraçou, ficamos quase duas horas só fazendo carinho um no outro, até que ela me perguntou se seria tudo bem ela me beijar já que era nossa ultima vez juntos, EU NÃO SABIA OQUE DIZER, eu só fiquei olhando pro vento por uns bons 10/20 segundos, ela falou que era besteira, acabei aceitando o beijo, ela me deu só um selinho besta e começou a ir embora....puxei ela e começamos a ficar de verdade, passou algum tempo ela me empurrou e foi embora olhando pra mim e sorrindo.
Ao longo dessa conversa que tivemos ela ficou visivelmente triste e sem duvidas ela notou que eu também fiquei, ela me disse que chorou muito quando fui embora na época que namorei....agora só posso imaginar oque ela sente sobre mim, nunca achei que ia ficar com ela ou algo do tipo, só aconteceu.
Nota: eu tratei minha depressão ao longo dos anos. Assim como sempre tentei estar lá pra ela durante a depressão dela, até mesmo durante meu relacionamento.
Agora eu estou mais triste do que já estive em toda minha vida, comecei a me focar mais em mim, fazendo dieta, malhando, estudando pra faculdade, mas eu não consigo tirar ela da cabeça, tenho 21 anos e faz uma semana que fui embora da vida dela, meu corpo parece se negar esquecer ela, sonho com ela quase toda noite, não consigo falar com nenhuma outra mulher, não consigo nem me masturbar porque acabo chorando ao ver pornografia(???????????).
Compreendo o argumento de "ah tem mais muié por ai", porém, com todo o respeito, vá te fudé rapá, eu sei muito bem disso, o foda é que ela é a minha melhor amiga, foi por anos, me sentia mais aberto com ela do que com qualquer outra pessoa, eu podia falar qualquer coisa com ela e vice-versa, era tudo que sempre quis, toda idealização de amor que já tive na vida veio dela.
Eu só não sei oque fazer sem ela, sem nunca mais nem dar um oi, um abraço...eu conheço ela mais do que qualquer outra pessoa e só não sei oque fazer...
submitted by Afternoon_Upbeat to desabafos [link] [comments]


2020.11.01 08:32 brunomhterra Como lidar com um pós término

Pois bem, no dia 7/10/2020 fui pego de surpresa com uma péssima notícia: minha namorada resolveu terminar comigo.
A gente namorava há quase 10 meses, mas a gente se tratava como um casal por 2 anos, a gente demorou tanto pra tentarmos um namoro por causa da barreira da distância (eu no RJ e ela em SC).
No final de setembro eu fui até ela, pra enfim ficarmos juntos. Foram dias ótimos, saímos, curtimos bastante, transamos muito, vimos bastantes filmes e comemos bastante besteira. Parecia estar tudo bem, e pra ser franco, eu queria ter passado bem mais que 2 semanas ao lado dela.
Quando eu cheguei no RJ, depois de de todos esses dias com ela, parecia correr tudo muito bem, até que no fim da noite ela me pegou de surpresa. Mandou um textinho dizendo que iria terminar comigo. O motivo? Ela disse que não me amava mais.
Isso foi (e ainda é) um choque pra mim. Eu não esperava, pois parecia correr tudo muito bem. Eu fui um bom namorado, ela parecia bem satisfeita com o nosso namoro, sempre elogiava meu companheirismo, apreciava minhas virtudes, meus posicionamentos, e todos ao redor viam a gente como um belo casal.
Ela é a pessoa que eu mais amei na minha vida, e quando li aquilo, dizendo que ela não me amava mais, foi como se um pedaço de mim tivesse morrido junto com o amor que ela tinha por mim.
Eu quis buscar respostas, dizer o que aconteceu, se foi algo que eu fiz, e fui bem insistente nos dias seguintes, até pq, eu não queria perder a garota dos meus sonhos fácil assim, precisava lutar. Ela nunca deu uma resposta muito elaborada, mas uma coisa que ela dizia muito era que ela sentia falta dos seus tempos de solteira, onde era mais feliz. É claro que não é tão simples, mas o fato dela simplesmente não me amar mais me deixava angustiado. Até hoje perco o sono por conta disso tudo.
Um pouco depois do término eu segui um conselho de um amigo de tentar partir pra outra, e eu fui, mas não adiantava, não era minha loirinha. Eu voltei pra casa mega frustrado depois que fui encontrar essa menina nova, nem consegui chegar perto dela. As memórias, os tempos que vivemos juntos, as noites que passamos só conversando as maiores besteiras do mundo....eu queria viver isso de novo, mas não com qualquer uma, eu quero viver isso com ela!
Eu confesso também que até hoje eu tento faze-la mudar de idéia, converso sobre o assunto, mas toda tentativa acaba gerando um grande fracasso, mas eu não quero desistir dela. Foi com ela que vivi os melhores dias da minha vida!
E não é só isso, queria muito que fosse só o término do namoro que me atrapalhasse nessa coisa toda.
Eu venho tratando minha depressão, diagnosticada no fim de outubro de 2018. Vivi altos e baixos, e com essa situação as coisas acabaram piorando bastante, pois todos os meus planos que eu tinha com ela se transformaram em um grande vazio, um quadro em branco que eu não faço idéia de como preencher. Nessa semana eu recebi uma oferta de emprego na mesma área que eu atuo hoje em dia, mas com um salário 3x maior que eu recebo. Meu pai (que é meu patrão) disse pra eu ir fundo, que eu poderia me dar bem... Foi um fracasso completo, fiquei uns 10 minutos dentro do banheiro daquele lugar, só chorando e vomitando. Eu não tava mentalmente preparado pra uma mudança tão grande, pra uma responsabilidade tão enorme. Sequer terminei o "dia de trabalho", fui pra casa e chorei até cair no sono. Desde o término perdi 8kg, eu sempre fui magrinho, pesava cerca de 70kg, mas hoje me pesei e deu 62kg. Eu não como bem, não me cuido bem. Não só o término, mas é como se perdesse uma parte grande da minha vida, eu não sei quem eu sou e como posso me recuperar dessa perda grande.
Enfim, eu ainda tento convencê-la a voltar, mas talvez eu nunca consiga. E mesmo se ela voltasse hoje, há uma ferida enorme que isso tudo gerou e não sei se dou conta de sarar. Eu tô completamente perdido no que vai ser de mim daqui pra frente.
Eu só quero ser feliz como um dia já fui ao lado dela....
submitted by brunomhterra to desabafos [link] [comments]


2020.10.26 04:41 Enscie As vezes sinto vontade de morrer!

Eu estou sentindo isso agora, apensar da minha fazer de tudo pra mim crescer na vida e ficar bem eu não estou crescendo e ficando bem... cresci super protegido e isso me ferrou, meu pai não ensinou ter ambição... sempre falou que recusou ser rico pra saber quem está perto e dinheiro não é super importante... namorei a primeira vez aos 22 e terminou aos 23... minha ex sabia o valor do dinheiro, aprendi um pouco com ela mas isso minou minha relação eu não saber isso, eu tenho a teoria mas não a pratica sobre valor do dinheiro e tal, nunca me faltou nada... mas com os anos o poder de grana dele caiu muito e hoje só minha mãe trabalha... eu estou com 24 anos sem trabalho, tenho um curso tecnico e estou na faculdade. Minha mão ta pagando, mas não quero que ela se desgaste mais, nessa pandemia uns dias antes teve meu termino e eu enlouqueci nessa pandemia... agora estou cheio de medos, um sonho me apavora e fico em panico, ansiedade a mil... E ela ta pagando psicologo pra me ajudar agora,,,

Eu larguei um trabalho que consegui na pandemia de telemarkt porq eu surtei de ansiedade e panico por causa de um sonho que eu morreria se aceitasse, mesmo assim aceitei e cada dia durante duas semanas foram um sofrimento brutal....

Enfim, uma angustia cresce e tenho vontade de tirar a própria vida! A ansiedade sobre e o medo e desespero toma conta... tudo parece que não vai melhorar e eu vou ter um fim ruim ou vou morrer por algo sla... só queria minha namorada de volta pra me ajudar nesse tempo sla... me sinto só...

Grato por ler amigos.
submitted by Enscie to desabafos [link] [comments]


2020.10.23 16:13 __november Indo pro Brasil para Natal - boa ideia?

Oi pessoal,
Primeira coisa desculpa para meu portugues, eu nao sou Brasileiro. Eu penso em indo para o Brasil esse Natal com a minha namorada (ela é Brasileira). A gente mora na Franca agora e ela quer voltar para o Natal. Eu estou aqui perguntando porque eu quero a opinao dos Brasileiros e nao do Google, sobre o situacao do virus. Parece que esta fincando melhor e nas 3 semanas passadas tinha menos casos do que tinha na Franca (mas isso e a verdade ou ninguem ta relatando os casos?). To com medo pq e bem longe do meu pais e nao quero ficar doente sem minha familia perto etc.. mas eu nao sei, é muito importante para ela (faz bastante tempo que ela nao viu os parentes) e tambem parece que nao vai ser uma segunda onda pq o governo nao fechou nada ne? Eu tambem quero descobrir o Brasil (mas com cuidado, claro, tipo nao quero ficar no boteco com 30 pessoas perto de mim). Talvez o situacao em duas meses vai ser mais tranquilo? Voces podem me avisar como vao as coisas ai? se eu for cuidadoso talvez tudo vai dar certo?
Muito obrigado gente
submitted by __november to brasil [link] [comments]


2020.10.16 20:21 556778 Odeio tomar decisões. Elas sempre machucam

Hoje acabei pensando em mim. Uma ex-namorada pediu para voltar. Nosso relacionamento não era o mais saudável. Após a separação, ela e eu continuamos conversando. Ela e eu tivemos tempos melhores. Foi mais legal, foi mais divertido e mais real. No entanto, ainda estava com medo de aceitar. Eu conheço seus defeitos e sei o quão incompatíveis éramos no relacionamento. Sobre como ela não me deu a segurança que eu precisava. Além disso, estou tentando aprender sobre o amor próprio. Estou tentando me concentrar na minha vida, principalmente no lado profissional. Sinto orgulho da minha decisão, mas também fico triste. Talvez eu esteja errado, talvez ela tenha mudado? Mas o problema não era apenas a maneira como ela me tratou. Ela também tem um jeito difícil e bem fechado. Não sei se poderia ser feliz com ela. Estou cheio de dúvidas e com o coração pesado. Eu não quero que ela vá embora. Não sei o que fazer, como sentir.
E sim. Eu sinto que a amo. Eu tinha todos os motivos para sair. Mesmo assim, fiquei por perto. Mas ... é normal, não é? Você ama alguém e sente que não é para você? Mesmo que você já tenha desejado várias vezes que tudo fosse diferente e que desse certo desde o início? Sem ter que enfrentar esse momento. Quando você tem medo de dizer sim e todo o pesadelo começar novamente. Noites sem dormir, inseguranças, discussões sem sentido, ausência. A sensação de estar sozinho mesmo com alguém. As palavras que doem. Vontades unilaterais. O esforço solitário para manter o relacionamento. Fiquei feliz quando ela voltou para tentar reiniciar o relacionamento. Eu me senti menos odiado, menos mal. Mas... o medo existe.
submitted by 556778 to desabafos [link] [comments]


2020.10.15 06:09 GradeRevolutionary10 Tá tudo relativamente bem e continuo mau

A vida tá relativamente boa. Eu tenho menos de 16 anos e avancei dois anos do curso de inglês, tô falando um nível B2 indo para C1 e comecei a aprender latim pelo duolingo e tô gostando. Eu criei uma página de memes de história que pegou 1 mil followers em um mês mais ou menos.
Mas eu ainda me sinto meio.. angustiado. Eu não sei. eu me sinto assim desde os 12, e isso me afeta completamente. Eu não sinto muita vontade de comer a maior parte das comidas e eu não venho tendo animação pra fazer nem as coisas que eu gosto, e logo agora que eu tô estudando pra o exame do IF e a família tá puxando o meu saco por conta disso. Eu também sou MUITO esquecido e todo dia eu perco algo e sempre deixo luz acessa ou portas abertas, minha família diz que é por quê eu não quero prestar atenção ou porquê não me interesso por mudar, e agora eles brigam relativamente sério comigo por ter deixado uma porta aberta ou luz acessa. Eu não faço isso porquê quero. O argumento deles é que “se consegue aprender inglês sozinho, consegue se lembrar das coisas” — O fato é que eu notei que eu tô cada vez mais esquecido, e eu consigo me lembrar só de alguns dias do ano passado, por exemplo. Eu também tô agora mais angustiado pq to querendo aprender várias coisas que eu gosto (línguas, filosofia, história) ao mesmo tempo e acabo que eu fico indeciso e + aquela falta de animação, acaba que eu não movo uma palha o dia inteiro e tudo que eu quero mais é ficar deitado, e claro, eles me criticam por isso.
Eu tava até melhorando neste ano e até to melhor que ano passado, que foi o ano mais merda da minha vida. Eu tinha acabado de me mudar pra uma cidade nova e minha família começou a ter uns problemas financeiros, e meu padrasto ficou desempregado por 8 meses, e nesse espaço de tempo, ele começou a beber e aparecer embriagado no mínimo umas duas vzes por mês.
Um dia foi o ápice. Ele deixou eu e minha mãe na escola e na faculdade e foi beber, quando ele voltou pra me buscar na escola, um amigo dele tava dirigindo o carro e ele bêbado no assento do passageiro. Mais tarde iríamos saber que ele levou uma multa de 2 mil reais no carro novo que tínhamos comprado e subornou o policial com o dinheiro que íamos pagar a conta de luz para não apreender o carro, foi o que ele disse. Eu vi minha mãe ameaçar ele com uma faca pra ele ir embora, quase chamei a polícia. Fiquei muito assustado, não vou mentir.
Bom, nos mudamos daquela casa depois desse ano. Eles diminuíram as quantidades de brigas (brigavam quase todo dia antes) e meu tio passou pra faculdade desta cidade e veio morar com a gente. No início foi bom. Eles dividiam as contas e meu tio saia comigo comer fora e tal. Mas aí no início da pandemia foi o que deu: minha mãe tava com depressão profunda. Em partes por causa das brigas, em partes pelos problemas financeiros, e a faculdade que consome ela demais, presumo eu.
Bom, foi aí que deu. Meu tio e meu padrasto diziam que eu contribuía pra isso pq eu não ajudava em casa e não “facilitava a vida dela”. Isso me magoou muito. Com a pandemia, tudo ficou pela internet e resolvemos ir passar um tempo com nossos avós no interior. Lá eu melhorei um pouco, e foi relativamente bom. Mas cá estou de novo. Voltei a cidade que moramos e comecei a piorar de novo.
Desde o ano passado, minha mãe e meu padrasto entraram nessa coisa de terminarem o relacionamento e voltarem no outro dia. Ele trazia flores e tudo ficava bem. Aí esse ano, eles brigaram feio e finalmente terminaram, eles ainda se falam porquê ele tá pagando aquela multa e tentando reatar. Eu criei coragem pra pressionar minha mãe a terminar isso logo.
E ainda têm o lance do meu vô, que é a pessoa que mais chega perto de um pai pra mim, me botando pressão pra eu estudar e passar em Medicina. Na real, eu gostaria de ser professor de algo como História ou Filosofia. Mas ele não gosta disso e vive fazendo piadas sobre, e qualquer assunto que falamos juntos eles puxa pra algo relacionado a passar em Medicina ou ser médico.
Eu me sinto como um fardo pra eles, e de fato eu sou. Mas eu não sei como mudar isso e parece que a cada passo que eu vou, eu volto mais dois.
Além de tudo, eu perdi meu gosto por jogos online e por conta disso eu me afastei de meus amigos. A única pessoa que eu realmente falo constantemente é minha namorada, a única pessoa que me dá apoio e consigo conversar abertamente sobre esses problemas. É foda.
Enfim, tem outras merdas que aconteceram, mas isso é o principal. Desculpa pelo texto grande mas eu tive que tirar isso de mim em algum lugar.
submitted by GradeRevolutionary10 to desabafos [link] [comments]


2020.10.14 02:49 Krahmukoslovisk Porque não sou feliz?? *aviso de texto enorme*

Sempre que começo a estabilizar ou estagnar sempre me surge um sentimento cruel, de que eu estou preso a algo ruim, que ficarei pra trás. Tenho um desejo incontrolado de sair e começar tudo do zero. Porém quando estou em um lugar novo sinto falta do conforto e do carinho, me fazendo querer desistir. Hoje estou fazendo mestrado, trabalhando em uma ótima clinica e mesmo assim sinto um vazio no peito, uma dor e uma angustia, seriam esses os sintomas tardios do termino? Da realização de um “fim”. Pois é, em 2017 voltando do meu intercambio dos estados unidos eu tive um relacionamento rápido coisa de 3 meses, terminei e pra mim foi tudo bem, não havia história e não havia amor verdadeiro. Alguns meses depois me veio a ruiva mais linda que eu já vi (apesar de não ser ruiva natural caia muito bem nela, e nem se podia notar), eu me apaixonei na hora, mas pensei “não sou cara pra namorar, não consigo me conectar’. Eu não podia estar mais enganado. Os primeiros meses foram difíceis, ela havia terminado um relacionamento que não tinha superado, não queria se envolver, muito menos eu, afinal estava na faculdade e queria curtir tudo na mais absoluta esbornia. Porém o cheiro, o carinho e aquele sorriso me quebrou de uma forma tão intensa que eu não quis acreditar, foram períodos de muita felicidade até o momento que tudo virou de cabeça pra baixo, terminamos pois estávamos muito estranhos e eu não entendi muito bem mas não tive objeção, só que algo não estava certo pra mim eu não conseguia esquecer ela.
Fui atrás e descobri da boca dela uma traição, e que ela estava sendo coagida, foi agredida e teve que sair de onde morava por causa do sujeito. Foi o momento 1 da minha mudança, pois sempre fui um cara que abominou traição e quando a pessoa trai uma vez vai trair de novo, só que eu não consegui, não consegui olha pra ela e dizer que não queria olhar pra ela nunca mais, porque eu queria ela do meu lado, então, foi quando eu deixei ela morar comigo, dividir a casa com quem me traiu e quebrou minha confiança, chorava toda noite, porém não conseguia mandar ela embora não estava certo pra mim, e que apesar do que ela fez pra mim, o que fizeram com ela foi pior, voltaram as amigas dela contra ela, as próprias meninas de republica não ajudaram ela nem mesmo na parte da agressão. Eu resolvi dar mais uma chance pra ela e ó Deus daria mais umas 20, porque depois disso não tive o que reclamar, sempre atenciosa, se preocupava comigo, fez questão de conquistar minha confiança pouco a pouco até eu pensar em casar com ela, porém veio o ponto da virada numero 2.
Final da minha faculdade estava passando por problemas com os professores, a ponto de quase ter que ir no ministério publico para resolver um conflito, meu TCC estava um caco e eu estava a um pingo de ser reprovado no meu ultimo semestre, e isso é claro refletiu no relacionamento, brigávamos sempre pois estava apático a tudo, só conseguia comer e jogar, ela (com toda razão) se sentia abandonada, e eu não sabia se queria continuar namorando pois tudo na minha vida estava triste. Terminamos novamente, me consultei com um psiquiatra que me passou medicações e tirei um tempo para ficar em casa, tive crises de pânico, mas quando as medicações começaram a fazer efeito eu consegui fazer tudo, e ela, mesmo depois de ter terminado continuou ao meu lado, me ajudando e segurando minha onda diversas vezes, e no final eu percebi que estava em um momento horrível e pedi para voltar, voltamos. Então se inicia 2019 (teve um salto grande eu sei) quando sai da cidade onde fazíamos faculdade e fui para vila velha e ela ficou lá, novamente as coisas começaram a ficar estranhas, ela é a definição de paixão pra mim, intensa, sem medo, faz o que o coração manda e passar por cima de tudo para fazer o que acha certo, e eu não, sou acomodado e fico sempre a mercê do que os outros fazem ou deixam eu fazer, sou passivo nas atitudes. A distancia era grande, eu tinha uma rotina pesada e não tinha tempo de conversar por mensagem, estava muito dedicado ao meu estagio e ela precisava de mim, precisava conversar e precisava do namorado dela ali do lado dela, então brigávamos constantemente, então novamente outro termino. Só que dessa vez fui tão cego que não vi o que ela estava passando, os problemas que tive de final de faculdade ela também teve, e eu egoísta que sou, não soube ver isso, e quando me toquei do que havia feito, tentei de alguma forma ajudar, mas ela não me atendia, e quando a gente se falava ela só sabia chorar, e eu tapado que sou não sabia o que fazer e como agir.
Então começa o ponto de virada 3, terminei o meu estagio, voltei pra casa e arrumei um emprego em um consultório veterinário perto de casa(interior do ES divisa com o RJ), e ela voltou pra cidade dela Pedro canário (norte do ES, divisa com a Bahia) estávamos terminados porem anos antes compramos um congresso de veterinária juntos e ela disse que mesmo que terminássemos ela ia disponibilizar a casa (o pai dela mora em Curitiba) dela para eu ficar. Foi chegando a data de ir e eu não sabia se aquilo estava valendo ou não, então quando menos esperava, depois de semanas sem se falar ela pergunta quando que vou, eu que nem tinha preparado nada, entrei em choque e comecei a ver data de voo, e na minha cabeça pensava “vou conquistar essa mulher de novo”, e como já dizia Rubel “se for preciso eu pego um barco e eu remo por 6 como peixe pra te ver”, ela ama Rubel. E fui, eu nunca tinha sido recebido tão friamente, era simplesmente era apática a tudo que era relacionado a mim, eu pensei “não vai dar” e já fui baixando a expectativa mas não desisti, e então em um belo dia a noite em casa, a gente ficou entre choros de saudade e tristeza, amor e ódio. Mais uma vez resolvemos tentar, sempre claro corrigir os erros do passado, para não se repetir. Ela fez comigo um teste de perseverança pois estava devastada com o que fiz com ela (deixar ela sozinha no fim da faculdade segurando uma barra desgraçada) Eu arrumei um estagio para ela numa indústria de laticínios na minha cidade e ela foi pra lá. Eu percebia que ela era muito grossa e sempre discutia por coisas bestas, eu sabia que era pra me testar, segui firme. Próximo do estagio acabar, meus pais (que aliás achavam que estávamos separados, na verdade só fingiam) perguntavam quando ela ia embora, e eu não sabia como tocar nesse assunto porque eu também não queria que ela fosse, queria ficar com ela, mas então em janeiro de 2020 ela foi embora, para Curitiba na casa do pai dela. E pra minha sorte o que houve em 2020? Pandemia, comércios fechados, aeroportos fechados, caos no mundo, e a única forma da gente estar junto e por whatsapp, e quem é o insensível que não consegue ser atencioso a distância? Eu mesmo e assim levamos por alguns meses, planejando nos ver em pleno a pandemia, mas eu não tinha dinheiro, recebia muito mal (menos que um salário mínimo) e pra ir ver ela teria que pegar dinheiro com meus pais, que com certeza não me emprestariam, então era sempre uma decepção porque ela sempre vinha com promoções de voos e formas da gente se ver, e eu sempre realista quanto a nossa situação, foi então que em junho desse ano ela me ligou terminando tudo.
Aceitei, foi uma conversa ate que longa, ficou muito claro nossos motivos, mas o principal foi a distância (eu não consigo ser eu mesmo por mensagem, não sei o que acontece, no dia eu só vou fazendo as coisas e depois que me toco de ver celular mas as vezes já e tarde). No mesmo mês fiz minha inscrição no mestrado em Vila Velha aonde havia estagiado meses antes, acabei passando, não recebo bolsa, e estou tendo que trabalhar para pagar o mestrado e as contas (quase 2500 reais no mês) até ter uma bolsa, se houver ela. Mês de setembro fiz plantão todos os finais de semana e terças-feiras, de segunda a sexta estava na rotina do Hospital para aprender a fazer coisas novas em anestesia e a noite aula. Foi um mês desgraçado, mas foi um mês que não senti falta dela, ai nesse ultimo feriado, alguns amigos me chamaram para ir para a praia em Guarapari (cidade próxima) pra gente da uma curtida, então eu fui, e realmente me diverti muito, e no domingo eu acabei ficando com a amiga da namorada de um amigo meu (complicado mas acho que deu pra entender) e nesse momento, meus amigos, só me vinha uma coisa na cabeça, a Ruiva. Eu só dei uns beijos nela e nada demais aconteceu mas no outro dia eu fui embora, porque não estava me sentindo bem com a situação, cheguei em casa triste, com uma dor no peito enorme, e acabei mandando mensagem para ela, conversamos de boa, falamos como estavam as coisas e então vem o momento da virada 4, a Ruiva, conversando com umas pessoas arrumou um emprego numa cidade pequena aqui no espirito santo, e essa cidade meus amigos, é 70 km de onde eu moro, e agora eu não consigo trabalhar, comer, estudar e nem fazer nada, só penso em ir lá e chegar dizendo que vim remando por 6 meses e só pude chegar agora. Porém meu medo é eu ser a pessoa que nunca está feliz, que quando está bom quer mudar e quando muda sente falta do conforto. Inegavelmente eu a amo, e ela me ama também (foi dito isso na conversa) mas tanto ela quanto eu sabemos que amor nunca segurou e nunca vai segurar relacionamento, fico me perguntando, com a possibilidade de ir vê-la a cada 15 dias e trabalhando pra me sustentar, podendo fazer planos de vida, se daria certo. Antes vivíamos em momentos diferentes, mas agora estamos vivendo no mesmo momento, trabalhando e sendo adultos que moram fora de casa. Meu coração e meu corpo doem de medo de ignorar o que todas as fibras dizem que é ir ver ela esse final de semana, mas ao mesmo tempo morro de medo de estar sendo o maior egoísta desse mundo e me deixar levar por esse sentimento e acabar descobrindo que não consigo mudar e que não da mesmo para estarmos juntos. Nunca fui muito religioso, mas já rezei para Deus para ter sucesso, para ter dinheiro pra pagar minhas contas, agora peço que ignore tudo e me uma luz para onde seguir.
submitted by Krahmukoslovisk to desabafos [link] [comments]


2020.10.12 03:39 xulip4 Eu não consigo mais amar eu acho

Todas as pessoas que eu já confiei me decepcionaram. Meu ex melhor amigo me fez ser torturado, humilhado e preso quando o padrasto policial dele encontrou maconha na casa dele. Esses processos me prendem a uma cidade que a cada dia se torna mais inabitável devido ao descaso com o meio ambiente. Minha ex namorada, que sofre de transtorno de personalidade, me chamou pra sair recentemente, fomos num motel e depois comemos alguma coisa. Minha mãe descobriu e se zangou comigo, já que essa ex já tinha abusado muito de mim e minha mãe culpa ela por eu ter tentado me matar algum tempo atrás. A família se envolveu numa grande discussão e eu vi minha mãe chorar muito. Decidi parar de falar com a minha ex e a bloqueei em todas as redes sociais. No dia seguinte ela aparece no portão da minha casa, chama a polícia e me acusa de ter estuprado ela. Sou levado pra delegacia, onde sofro crises fortíssimas de ansiedade e passo horas numa cela antes de ser interrogado. Só pra não ser levado pra prisão, tive que desembolsar 1500 reais de despesas advocacionais, além dos 6000 que ainda estou pagando da acusação de trafico do padrasto do meu ex melhor amigo. Estou sem amigos pq meu melhor amigo dividiamos o mesmo circulo de amizades, e quando eu estava preso, ele pôde convencer a todos de ficarem do lado dele. Eu no momento tomo 3 remedios diferentes pro meu tratamento psiquiatrico, um deles sendo tarja preta. Qualquer barulho me assusta, eu tenho medo de sair na rua. Eu nao gosto de ficar perto das pessoas. Mas acho que a coisa que me faz realmente me odiar e querer dar um fim na minha vida é o fato de, depois de TUDO que minha ex me causou, eu ainda sinto falta dela.
submitted by xulip4 to desabafos [link] [comments]